8.11.06

no centro da vontade de Deus...


“Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para dar testemunho do Evangelho da graça de Deus”.(Atos 20:24)

No rádio do carro ouvi a promoção de um jornal: o prêmio para o vencedor era uma casa. Ainda no mesmo dia, já mais tarde, folheando uma revista bati meus olhos num artigo sobre um vestido feito por um estilista de alta costura para uma socialite badaladíssima e seu valor era superior ao da casa sorteada pelo jornal. (ok, era uma daquelas revistas horríveis, que só dá p’rá folhear mesmo... : ) )
O mesmo valor atenderia:
- Ao anseio de uma família: a casa própria.
- Ao desejo de ser o centro das atenções por três horas, numa festa de famosos... (o vestido).
Tenho de respirar fundo: como é complicado definir valores!
O que é e o que não é precioso verdadeiramente?
Como será a sensação de um atleta olímpico ou de um recordista mundial: alcançar, ou melhor, superar todas as suas (e dos outros) expectativas – ultrapassar seus ídolos da infância? Como será a sensação de um atleta aposentado, ao visitar seu clube, onde atuou por anos e, passeando por todo o lado, não ser reconhecido? Os tempos mudaram – os craques agora são outros... E tudo o que ele fez? Ninguém lembra mais? Qual o valor?
Pensando assim, não paramos mais...
A verdade é que todas as coisas que possuímos, todas as tarefas profissionais que desempenhamos, todos os “prêmios e fracassos”, todo dinheiro e fama têm seu valor limitado.
Limitado a determinado tempo,
a uma época,
a um local,
a um grupo social, político ou econômico.
Limitado como é limitado o ser humano...
O que realmente tem valor na vida é estar no centro da vontade de Deus. É levantar de manhã e, desde o café até a hora de dormir ter a certeza de estar fazendo exatamente aquilo que Deus traçou para nós.
Lendo este verso, acredito que Paulo tinha absoluta certeza disto.
Beijos, Alê

8 comentários:

Cris disse...

Muitas vezes me pego comparando "conquistas pessoais": o colega de faculdade que teve uma carreira profissional impecável, o parente que teve sucesso nos negócios, o amigo que foi morar no exterior e esta muito bem de vida... Ai eu paro e me forço a olhar para minha própria vida. Vejo a mão de Deus me levando pelos Seus caminhos, cuidando de mim e dos meus amados, me levantando nas derrotas, me fazendo sentir o Seu amor infinito e eterno.
Nada, absolutamente nada se compara ao conforto de estar no centro da vontade de Deus. Todo o resto tem duração limitada, prazo de validade. Somente Deus tem garantia sem fim, somente suas promessas duram para sempre. Mesmo que as minhas vitórias não sejam públicas e notórias, não tenham marca de grife nem me tornem famosa, elas são um presente precioso do meu Pai e não poderiam ser nem maiores nem melhores.

Anônimo disse...

Alê
Estou "colando" aqui o resultado de uma questão feita em exercício de avaliação do curso Academia da alma que estou fazendo on line e ministrado pelo Seminário Batista do sul.E' só para você tomar conhecimento, já que se trta de assunto sobre o mesmo tema e se trata de um exemplo verdadeiro:
"A reflexão sobre os ensinamentos de Jesus, contidos em Mateus 6 19-34, falam muito ao meu coração neste exato momento, em função da realidade que estou vivendo. Meu marido e eu trabalhamos 30 anos em uma importante companhia estatal e, graças aos cargos de direção que ocupávamos, tínhamos salários que nos permitiam uma situação financeira extremamente confortável. Viajávamos muito, várias vezes ao exterior, morávamos em apartamento de luxo, tínhamos o carro do ano e nossos filhos estudaram nos melhores colégios e tiveram tudo o que de bom, do ponto de vista material ,poderia ser-lhes oferecido. Quando nos aposentamos, não nos preocupamos com a manutenção dessa situação, pois tínhamos, por lei, garantido que nossos salários seriam sempre equiparados aos dos servidores da ativa que ocupassem o mesmo cargo que ocupávamos quando da nossa aposentadoria. Como ocupávamos o último cargo da carreira, estaríamos garantidos - assim pensávamos - em termos de salário e qualidade de vida. Acontece que a empresa, em determinado momento, criou um outro quadro de cargos e salários, dando novos nomes aos cargos que ocupáramos, não permitindo aos aposentados acesso a esse novo quadro; permanecemos no antigo quadro, com os salários extremamente defasados em relação aos salários do pessoal da ativa que optou pelo novo quadro. Entramos na Justiça e perdemos, por motivos que até hoje não consigo entender, pois considerava nosso direito líquido e certo.

Bem, tudo isso foi para que entendessem como a questão do dinheiro que nunca foi problema para nós, de repente passou a ser o foco principal da nossa ansiedade. Ainda mais que um dos filhos ficou desempregado - ainda está - e tivemos que assumir as despesas de sua família.

Vivi um primeiro momento de muita revolta pela injustiça sofrida. Hoje,contudo, graças a reflexões como essas, feitas em cima do texto recomendado, não sinto mais revolta e nem ansiedade pela situação que vivemos. De uma ou outra forma estamos dando conta do do recado, utilizando recursos com os quais não estávamos acostumados, como cheque especial, empréstimos feitos pela nossa cooperativa e também alguns trabalhos esparsos na área da advocacia que nos chegam em momentos críticos. Aprendi a confiar em Deus. Aprendi a dar do que me falta ao invés do que me sobra. Aprendi a colocar Deus no centro de minha vida e deixar que Ele a conduza. Assim vamos vivendo, a cada dia, e o Senhor vem provendo nossas necessidades. Sei que o Senhor me ama e creio na sua promessa de que o justo e a sua descendência jamais mendigariam o pão. Aprendi a viver com o pouco, em relação ao muito que tinha, e isso não só me tornou mais consciente da minha responsabilidade, como cristã, de evitar o desperdício e administrar melhor os recursos que o Senhor disponibiliza para mim, como também me fez viver, na pele, uma lição de humildade e completa dependência do Senhor.

Todas essas reflexões me vieram mais uma vez à memória enquanto no meu imaginário eu passeava de pés descalços por uma linda e deserta praia de minha terra natal e meditava nos ensinamentos de Jesus contidos em Mateus 6; 19-34

Helo disse...

Sem comentários,concordo plenamente!!!Éuma pena q estamos sempre nos esquecendo disso e por consequencia saindo do centro da vontande de Deus.bjss..

gedmar disse...

já dizia o velho Salomão:
"tudo é vaidade..."

Ana Foguinho disse...

Além disso, o que fazemos pelo Senhor não está limitado pelo tempo. É pra eternidade!! Só de pensar que andando nos caminhos do Senhor, posso mudar muitas vida pra toda eternidade!!! Lindo né?

Somos limitados, mas o nosso Deus... "o meu Deus, é o Deus do impossível"! UIHiuhiuhi Adoro quanto vc canta esse verso! AIUhauiha

Como gedmar disse aí em cima... esse texto é puro eclesiastes! E vc sabe como eu amo Eclesiastes! =DDD


Te aaaaaaaamo!

Anônimo disse...

É verdade Alê, descobrir e fazer a vontade de Deus é algo que nos faz viver a vida em sua plenitude, extrair dela sua maior beleza e poesia. Os valores são mais simples, mais humanos e eternos e nos fazem viver sob uma outra perspectiva.
A vontade de Deus vem nos libertar e completar, vem nos fazer compreender melhor o sentido de viver.O sentido está no amor, passa pelo amor, parte do amor e nos leva ao amor!Deus é amor!
Henrique

DieGo disse...

essa paisagem eh mt legal...
lembro de Nárnia por causa do ambiente...
xDDDDDDDDDD
NARNIA YESSSSSSS!!!!!!!!
...
PAZ DE DEUS!

Bárbara disse...

CARACA MANÉ!(hihuhihuh)
Desculpa, mas eu tenho que dizer isso... como tem gente futil no mundo! >.<

Bom, agora vamos ao meu comentário sobre o texto...
Não existe nada melhor do que saber que eu sou rica, rica em Deus.
Pobres aquelas pessoas que são ricas nessas vida que um dia vai acabar e de onde elas não vão levar nada!

É isso...

=***

P.s. Nós temos que ajudar essas pobres pessoas ricas!